Quantas vezes na vida você fez escolhas (por vezes boas escolhas, por vezes nem tanto) porque alguém falou pra você escolher daquele jeito?

Quantas vezes na vida você fez escolhas (por vezes boas escolhas, por vezes nem tanto) porque você falou pra você mesmx que aquilo era o melhor pra vc (ou o melhor que os seus pais, seu/sua namorado/a ou a sociedade esperavam de vc)?

Você faz o que gosta? Você representa aquilo que realmente gostaria de ser?

Você se sente preso/a e tem vontade de se libertar?

A verdade é que exercemos muitos papeis em nossas vidas.

Eu fiz faculdade de Direito e hoje sou funcionária pública. Meu papel é defender na Justiça pessoas hipossuficientes e brigar por seus direitos.

Mas a Justiça é cega e a cegueira torna  a ‘Justiça’ injusta.

Sempre quis ser artista. Tentei aprender música na adolescência. Fiz algumas aulas de teatro. Fazia colares de miçanga e vendia pras minhas amigas. Sempre gostei de cozinhar. Cantava no chuveiro.

Mas a vida me endureceu. O Direito me tornou burocrata. A idade adulta me trouxe um guarda roupa executivo e um semblante sério no rosto.

Perdi meu pai há cinco anos. Quanto vamos viver? Quanto tempo teremos conosco as pessoas que amamos? Será que todas essas máscaras se justificam numa vida que vale tanto? Qual o valor da vida?

Terapia. Yoga. Autoconhecimento. Amor próprio e amor ao outro.

Hoje pra mim é muito claro que o que vale a pena é fazer o que gosta.

É ser verdadeiro consigo mesmo.

E o que me faz verdadeiramente feliz é meu lado artístico.

Encontrei uma paixão no pole dance. Uma atividade física que me proporciona bem estar e ao mesmo tempo um espaço só meu, pra dançar e ser quem eu quiser ser nesse mundo.

Me sinto completa dançando.

Vejo ainda na arte do pole uma ferramenta importantíssima de empoderamento feminino. Nenhuma mulher entra no pole e não passa por uma transformação. Aqui concretizo os valores que minha profissão me deu.

Seja visto como esporte, seja visto como arte, o pole agrega. Não existe espírito de competição. Fortalecemos todas umas às outras. Torcemos pelo sucesso da outra. Por cada conquista. Pela libertação de cada dia que o pole nos proporciona. Libertação dentro de uma sociedade cada vez mais machista, moralista e controladora.

Seja quem você quiser ser. Seja feliz. Seja resistência. Estaremos com você.

andrea

Arte da Dedé.

2 comentários em “Quem você quiser ser

Deixe uma resposta