Quando alguém que não conhece nada sobre pole dance pensa no assunto, normalmente em seu imaginário surge a ideia de uma mulher desenvolvendo uma coreografia sensual para um homem.

Sim, é comum associar o pole à sensualidade, na medida em que se pensa no estilo como uma forma de homens obterem prazer a partir da exposição erotizada do corpo feminino.

Como se vê, o imaginário estereotipado do pole dance traz consigo uma carga forte de heteronormatividade. Bem por isso, um olhar apressado poderia levar à crítica do estilo, como se colocasse  quem pratica pole sempre na condição de um objeto sexual na sua relação com o observador.

Dito isso, cabe anotar que, apesar de o pole ser leigamente associado às danças sensuais apresentadas em casas noturnas e de strip-tease, sua verdadeira origem remete a uma espécie de yoga praticada em postes de madeira na India (mallakhamb). E essa prática indiana era comumente realizada por homens.

mallakhamb

Foto: internet

Conhecendo mais sobre o assunto, percebemos que existe todo um universo de possibilidades dentro dessa atividade, que, para alguns, é considerada uma dança artística (podendo ou não ser sensual) e, para outros, um esporte.

Em suma, o pole vai muito além de ser uma dança sensual e, em todos os casos, pode ser desenvolvida tanto por mulheres como por homens.

Diferentemente do que se imagina, quando praticado por mulheres, o pole está longe de ser uma prática machista; em verdade, ele se mostra uma importante ferramenta de empoderamento feminino 💋 (assunto  que já tratamos em outro post).

Mas hoje quero falar com vocês sobre o pole praticado por meninos.

Tenho grande admiração por diversos pole dancers homens. Aliás, meu professor de pole, Jair Rodrigues, que em breve vai ser entrevistado aqui no blog, é homem.

gui

Jair Rodrigues. Foto: Rudpolph Lomax

Carinhosamente conhecido como Gui Guillen, ele conta que o pole ainda é visto de maneira preconceituosa no meio masculino justamente porque a atividade ainda é facilmente associada à dança sensual da mulher para o homem.

Contudo, destaca que a parte esportiva-acrobática da modalidade vem ganhando muita força, tanto que tem crescido a quantidade de meninos que são praticantes de pole dance, sendo que muitos procuram o estilo em busca de ganho de condicionamento físico e por ser um esporte calistênico.

Ele ainda destaca que já existem muitos homens que participam de competições de pole e cita como inspirações o brasileiro Guilherme Ambrosio e o letão Slava Ruza.

Seguem alguns vídeos de pole dancers incríveis pra vocês conhecerem 💚:

Seja visto como esporte, seja visto como arte, o pole é uma atividade bastante desafiadora, que exige muita força, muito treino e muita persistência 💪.

Meninos, que tal fazerem uma aula experimental?

Deixe uma resposta