Normalmente, quando postamos fotos de pole nas redes sociais, as pessoas que não estão familiarizadas com as figuras na barra ficam surpresas com a força/coordenação/flexibilidade/equilíbrio do praticante. Aí, quase imediatamente, vem a pergunta: “Quanto tempo eu demoro pra fazer esse movimento?” 🤔

A resposta é muito relativa – não existe uma regra. Existem alunxs que na primeira aula já conseguem fazer algumas figuras na barra e até inverter 😱. Isso é possível quando a pessoa já tem alguma força e consciência corporal decorrente da prática de outros esportes ou da dança.

2
primeiro Scorpion sem ajuda

Para quem nunca praticou nenhuma atividade física antes (meu caso), é lógico que é mais difícil. Mas nada que a constância dos treinos e a vontade de aprender não resolvam 😉

Eu comecei a fazer pole com 30 anos e tive muita dificuldade no começo, pois não tinha nenhuma força e era bastante medrosa. Minha primeira professora teve que ser bastante paciente, porque a minha evolução era bem lenta.

Demorei quase quatro meses pra aprender a escalar a barra. A primeira inversão sozinha (crucifixo invertido) veio com quase um ano de prática. As trocas fluidas entre scorpion-gemni-golfinho demoraram quase um ano e meio 😅

Mas depois que o meu corpo se “acostumou” com as travas e eu ganhei força pra sustentar o meu peso e confiança pra tentar coisas novas, a evolução passou a acontecer de forma bem mais natural. Hoje tenho dois anos e meio de prática e fico muito contente com o meu progresso – e o melhor: a cada dia surgem novos desafios e a vontade de melhorar só aumenta ❤️

 

1.png

Foto: arquivo pessoal

Às vezes eu penso que poderia ter começado a praticar pole mais cedo, porque quando somos novinhos o corpo é mais flexível e somos mais corajosos pra tentar algumas acrobacias (sim, muitas coisas não conseguimos fazer por medo de tentar). Aliás, quem nunca ficou boquiaberto com uma aula de pole kids? 😱

polekid
@tylrpoleroom

De toda forma, o pole só apareceu na minha vida depois dos 30 e sou muito grata, pois me trouxe muita alegria, motivação e qualidade de vida.

E, pra quem pensa que pra ser bom precisa começar novinho, quero falar pra vocês de uma grande inspiração, a maravilhosa Edi Reis, que contou pra gente que começou o pole com 42 anos, quando conheceu o esporte numa novela da Globo.

edi reis
@edireispolesport

 

A praticante conta que teve dificuldades no começo (principalmente por estar acima do peso na época) e hoje é uma atleta mundialmente reconhecida, que possui nada menos do que 14 (C-A-T-O-R-Z-E) medalhas de pole, sendo que os seus principais títulos são: Penta Campeã Brasileira, Vice Sulamericana, 3o lugar Londres (SporTV), 2o lugar Amsterdam (Artístico) e 3o lugar Espanha (Artístico). edi calendario

Neste ano a Edi competirá novamente no Campeonato Brasileiro 🍀 e, como se não bastasse, ainda abriu sua agenda no Brasil para compartilhar em março seus conhecimentos conosco por meio de workshops e cursos de capacitação ❤️

Você pode conhecer um pouquinho mais da história dela nesse link 🙂

Vale contar ainda a história da Vó Bia, que se tornou praticante de pole dance aos 71 anos e resgatou através da atividade vivências de sua juventude, quando era aventureira e gostava de subir em árvores e praticar esportes. Em entrevista ao portal Dibradoras, Vó Bia conta que o esporte não tem idade e que, depois que começou a praticá-lo, sua neta, nora e sobrinha já aderiram à modalidade.

vobia
@vobiapole

 

Deu pra perceber que pra fazer pole  não tem pré requisitos né?

Só vem! 🙌

Deixe uma resposta