Neste mês, estou tendo a oportunidade de passar minhas férias em Paris.

Foi uma viagem mega desejada e programada, pois não há lugar no mundo que me encante mais do que essa cidade.

No meu roteiro, havia duas coisas que queria muito fazer: ver um show em um cabaré parisiense e, adivinhem, fazer uma aula de pole em Paris.

Queria muito fazer a aula de pole aqui por motivos de curiosidade e de aprendizado. Queria sentir como minha pele reagiria junto ao pole em um clima totalmente diferente. Queria saber se a espessura da barra aqui seria igual à nossa ou não. Queria ver se o formato da aula seria parecido com o nosso. Queria ver como lidaria com uma aula em outra língua, como seria a relação do professor com os alunos, o que eu aprenderia.

Minha primeira ideia foi tentar marcar uma aula com a @dorisarnoldpoledancer no @le_studio_francoise. Acabou não dando certo porque o estúdio dela é muito longe do meu hotel.

Após algumas pesquisas, descobri um estúdio pertinho de onde eu estou hospedada: o @polespiritparis.

Pesquisando sobre o estúdio, descobri que o agendamento da aula poderia ser feito pelo site, com pagamento também online, numa plataforma bastante simples.

Pelas fotos e vídeos que vi, fiquei apaixonada pelo estúdio e pela professora.

Corri então e me inscrevi para uma aula na turma de avançado, que ocorre às quintas-feiras, às 12:15, no horário daqui.

Logo depois, mandei uma mensagem pelo instagram para a prof e dona do estúdio, a Claire Francisci, que agradeceu o meu contato e no dia seguinte confirmou a minha inscrição, constatando que a turma teria atingido o número mínimo de alunos para que ela pudesse dar a aula.

Agendei minha aula para o dia 02/05, quase duas semanas depois do início das minhas férias, sendo que, quando chegou o dia esperado, eu estava bastante ansiosa, pois me senti prepotente por ter agendado aula de nível avançado num país diferente, ainda mais por estar sem fazer atividade física, sem alongar e comendo de forma bastante desregrada desde que saí do Brasil (sou vegetariana e os franceses não entendem bem como balencear suas proteínas de origem não animal – resumindo, estou há quinze dias comendo massas, pão e queijo 😂).

De toda forma, fui com a cara e a coragem fazer a aula e me encantei 😍

O estúdio é uma gracinha. Tem 8 barras de mais de 3 metros de altura, bastante afastadas umas das outras, sendo que 3 delas são fixas, 3 são giratórias e 2 são integradas a palcos de pole dance que ficam montados no local.

As barras eram todas da X-Pole, de alumínio e da mesma espessura que usamos no Brasil.

Não senti diferença de aderência na pele, embora estivesse um clima mais frio do que aquele no qual estou habituada a treinar (estava cerca de 12 graus, num dia chuvoso de primavera).

Pelo que entendi, todos os alunos dessa escola fazem aula desde sempre nas barras fixa e giratória, sendo que em uma mesma aula a professora passa pelo menos um combo em cada barra.

Na minha turma (de avançado), a aula teve duração de uma hora e meia e se iniciou com uma etapa de aquecimento, alongamento e fortalecimento bem longa (e pesada) que durou uns 20 minutos. Fiquei chocada quando a Claire nos colocou no final dessa etapa para abrir espacate e ela alongou também, negativando o espacate dela com cerca de 8 bloquinhos empilhados na perna da frente (😱).

Ao longo da aula, ela nos passou dois combos de barra giratória e um de barra fixa e, no final, montou uma sequência para uma coreografia.

Tive bastante dificuldade para executar os combos, não só pelo nível elevado de dificuldade, mas também por não estar familiarizada com as transições, pelo fato de estar fora da rotina de treinos e também pela dificuldade de comunicação, pois falo e entendo francês num nível básico de conversação e me atrapalhei toda pra entender o que ela falava para eu corrigir enquanto eu estava toda torta e de ponta cabeça tentando executar os movimentos 😂

De toda forma, não me arrependo nadinha de ter participado da aula, muito pelo contrário, pois ela me abriu os olhos para novas possibilidades de movimentos e de transições e me deixou com muita vontade de quero mais ☺️

Recomendo muito que todos treinem em lugares diferentes de onde estão habituados a treinar, pois a troca de conhecimento é sempre enriquecedora. Posso dizer que saí dessa aula cheia de ideias e com uma visão um pouco mais clara do que quero daqui para frente.

Também vou treinar bastante para conseguir executar tudo que foi proposto naquele dia e mostrar aqui pra vocês.

Ah! Esqueci de falar: também fui no cabaré francês. Foi um programa bem massa, mas posso dizer que nossas pole dancers dão de 10 x 0 quando o assunto é entreter e surpreender 😉

A bientôt!

Deixe uma resposta