Em tempos de quarentena, os nervos de todos estão à flor da pele. Não é algo especial sentir ansiedade quando não se pode sair de casa, e se está confinado.

Eu, quem vos escrevo esse artigo (e sim, este será uma artigo em primeira pessoa; prometo nunca mais cometer esse crime!), que, apesar de estar impossibilitada de treinar pelo estado de quarentena que nosso país se encontra, não parei de pensar no Pole Dance. No meio das minhas reflexões, lembrei de algo que aplico muito à minha dança e que me agrada muito: a criatividade.

A sua dança se trata apenas de movimentos bonitos na barra? Pois, se sim, não existe problema algum! A expressão corporal vai muito além de conceitos. Porém, proponho que pense em dar um conceito para sua próxima coreografia; é algo que faço como polerina e me agrada muito, então talvez te agrade também.

Pense se você quer fazer uma dança que cause a sensação de medo e mistério nas pessoas, ou que faça elas lembrarem das invasões alienígenas, ou dos restaurantes em Paris. Dê um tema pra sua dança, transmita uma mensagem.

Não precisa criar uma coreografia de verdade, estamos em quarentena e nem todas temos barra em casa, mas faça o exercício criativo. Apenas pense. Pense em um pole-teatro, pense em uma coreografia tão divertida e interessante, que você a assistiria três vezes seguidas.

Deixe a ideia amadurecer.

Reprodução: instagram @soudopole.estudio

Deixe uma resposta