Gente, eu vim fazer um post polêmico mesmo, porque ouvi algumas coisas sobre esse assunto, e como aqui no Sou do Pole, a gente fala bastante sobre como o pole dance melhora a auto estima, me senti na responsabilidade de falar um pouco sobre a minha experiência pessoal com o meu corpo.

Essa sou eu, essa é uma foto que eu tirei agora.

E eu dou aula de Pole dance. 🙂 E, prazer essa é minha barriga eu não gosto muito dela não, sabe… mas resolvi tirar uma foto assim nesse cenário bonitinho com arco-íris até para ver se eu gostava mais dela.


Mas não teve jeito não, tive que dar uma ajeitadinha na foto para eu gostar, e até que ficou bom assim.
Por que que eu tô postando uma foto com a minha barriga aparecendo se eu não gosto dela? Porque eu acho importante mostrar para as pessoas a realidade. Porque assim, eu me acho bonita com o meu corpo do jeitinho dele, e não é por causa disso que eu sou obrigada a gostar e achar bonita todas as partes dele, tem partes que eu mudaria sim, mesmo gostando e cuidando dele.


E aí, outro dia falaram me que tem certos estúdios de pole que vendem auto estima ao invés de ser escola de pole dance. E eu sinceramente, me senti pessoalmente atacada, porque nós pregamos sim no nosso estúdio que pole dance melhora auto estima. Mas porque é uma experiência pessoal minha! E é isso que eu acredito. Eu não acho que todo mundo que pratica pole tem que querer ser profissional e participar de competição, fazer ponta de pé 24h por dia e inventer de forma limpa. E é por isso que eu não cobro isso das minhas alunas, eu cobro que elas façam os movimentos com técnica, claro, pra ninguém se machucar, mas tá tudo bem se não deu pra esticar a perna ou fazer ponta de pé, não to lá pra contar pontos pras olimpíadas.

O que acontece é que eu só gosto do meu corpo do jeitinho que ele é por causa do pole dance.

Então é por isso que a gente fala tanto de autoestima, empoderamento.

Por que eu, Lorraine, tenho 32 anos, uma filhota de 13, e tenho essa barriga aí que tá na foto. Eu não sou atleta, eu não tenho histórico de atleta, se não fosse pelo pole eu tava sedentária até hoje sim. E hoje eu só gosto do meu corpo e aceito ele do jeito que ele é por causa do que eu sou capaz de fazer no pole.

Eu não sou “profissional no pole”, eu não participo de competição e nem sei aqueles movimentos avançados e mirabolantes (alô rainbow marchenko), e mesmo assim eu dou aula de pole sim, e de flexiblidade SIM, não pra ser profissional ou vender auto estima, eu ensino porque eu gosto de ensinar o que eu sei e gosto de mostrar pras pessoas o que os corpos delas são capazes de fazer independente dos “defeitos” e deixar elas felizes com os corpos que ela tem que nem eu sou feliz com meu corpo por causa do que ele faz.

Se tem alguma coisa no seu corpo que vc não gosta, tá tudo bem. Se vc quer mudar alguma coisa, tudo bem também, faça por vc, porque vc merece, tá?

Deixe uma resposta