Comecei no pole em 2016. E eu não tenho um corpo considerado padrão.

Sim, eu sou gorda, e gorda não é xingamento gente, é só uma característica.

Então, no começo, eu tive muita dificuldade, não conseguia praticamente nenhum movimento, e eu via que eu ficava “pra trás”, porque as outras meninas (magras) conseguiam evoluir mais rápido.

Então depois de alguns meses eu já decidi comprar uma barra pra treinar mais em casa.

O problema é que quando eu procurava na internet vídeo pra eu treinar, só achava vídeos de gente magra, e eu fiquei aficionada em achar meninas com o corpo parecido com o meu fazendo pole, aí eu comecei a procurar por varias # no instagram, até que eu consegui achar algumas referencias gringas buscando pela # poleplussize.

Aí sim eu comecei a evoluir, porque tinha referencias de pessoas parecidas comigo fazendo os movimentos e comecei a copiar elas.

E por isso que a gente aqui no sou do pole acha tão importante mostrar corpos diferentes, e frisamos tanto que todo corpo pode fazer pole, pode se exercitar

Mas convenhamos que podíamos ter um lugar reunido com referências aqui do Brasil né? Pois é, concordo, agora eu queria convidar vcs pra conhecer o coletivo que eu faço parte, que vai estreou no instagram, que é o pole gordas

” O corpo gordo muitas vezes é visto como feio, fora de padrão, doente, menos capaz, uma ofensa. Por que isso? Ser gordo é somente uma característica física. A ditadura da beleza e os projetos políticos e sociais por trás dela, nos fazem crer que apenas um tipo de corpo é bonito e aceitável, e aí de você se não conseguir se encaixar. As penalidades vão desde de julgamentos, pressão estética a perda de acessos e direitos.
Nos enquadram em uma categoria e ignoram nossas diversidades. Nenhum de nós é igual ao outro. Aqui somos preta, branca, alta, baixa, de cabelo liso, cacheado, crespo, professora, psicóloga, estudante, mãe, solteira, casada, carioca, gaúcha, paulista, paranaense, umas que adoram samba, outras ouvem kpop, algumas até biscoiteiras, outras nem tanto. São tantos adjetivos esquecidos que nem cabem mais neste texto.
(…)
Assim nasce o Pole Gordas. Um coletivo que exalta os corpos que dançam livres e únicos como devem ser ❤️” (texto retirado do instagram do coletivo)

Vai lá no instagram ver o post todo e conhecer o coletivo! 🙂

Bora desmistificar o corpo gordo, todo corpo é livre pra fazer o que quiser!

Deixe uma resposta